Setembro é o mês mundial de prevenção do suicídio, chamado também de Setembro Amarelo. O assunto que já foi um tabu muito maior, ainda enfrenta grandes dificuldades na identificação de sinais, oferta e busca por ajuda, justamente pelos preconceitos e falta de informação.

O ano de 2017 foi um marco nacional nesse quesito com a ocorrência de alguns fatores que colaboraram a população como um todo a dar mais atenção ao tema e procurar informações. Em 2018, o CVV (www.cvv.org.br), uma das entidades mobilizadoras do Setembro Amarelo no Brasil, programou diversas atividades em todas as cidades nas quais possui um de seus mais de 90 postos de atendimento.

Alguns exemplos são caminhadas, palestras, balões amarelos, pontos turísticos e edifícios públicos iluminados, distribuição de folhetos e atendimentos em locais públicos.

Carlos Correia, voluntário e porta-voz do CVV comenta que é o período mais intenso para todos os voluntários da instituição. “Nos preparamos desde o início do ano para aproveitar esse importante momento de falar sobre prevenção do suicídio e, aos poucos, quebrar alguns tabus”, comenta.

Correia comenta que os 32 suicídios que ocorrem diariamente no país, média de 1 morte a cada 45 minutos, é algo que pode ser reduzido. “Perceber que a pressão interna está muito elevada, que o copo está para transbordar e, nesse momento ou antes disso, pedir e aceitar ajuda é muito eficiente. Conversar com alguém, seja conhecido ou desconhecido, de forma acolhedora e sem críticas já ajudaria essa pessoa a superar aquele momento.” O voluntário do CVV complementa que muitas vezes as pessoas precisam de acompanhamento médico e/ou psicológico, mas que o serviço do CVV atua em situações de crises como complemento a esse tratamento.

Não é preciso estar ligado ao CVV ou a outra instituição para se mobilizar. Empresas podem fazer ações internas, distribuir materiais informativos disponíveis no site www.setembroamarelo.org.br e promover palestras. Órgãos públicos podem iluminar de amarelo fachadas de prédios, promover atividades, falar sobre prevenção nas unidades de saúde e escolas. E cada pessoa pode se mobilizar usando uma fita amarela ou vestindo amarelo, levantando o tema em seus grupos e buscando informações confiáveis sobre o assunto.

O movimento Setembro Amarelo, mês mundial de prevenção do suicídio, iniciado em 2015, visa sensibilizar e conscientizar a população sobre a questão. Visite www.setembroamarelo.org.br.

ASPOFECE se solidariza com a APF Larice Velloso, lotada em Juazeiro do Norte/CE, e lança campanha a fim de arrecadar recursos para o tratamento de uma de suas filhas trigêmeas, devido uma paralisia cerebral e síndrome de West.

O tratamento existente com células tronco é em Cuencas, no Equador, o tratamento será realizado com o Dr. Iván Márchan Peñafiel, médico em Cuencas, cidade ao sul do Equador, e o montante necessário gira em torno de R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais) já com os gastos de deslocamento e hospedagem e, hoje Sofia exige muitos cuidados que representam gastos mensais elevados, por isso a família não consegue arcar com os custos do tratamento. E com o proposito de ajudar a família da Sofia estamos lançando a camanha TODOS POR SOFIA.

NOSSO OBJETIVO É SENSIBILIZAR 1000 (mil) PESSOAL PARA CONTRIBUIR COM R$ 150,00 (cento e cinquenta reais) FAÇA PARTE DESSA CORRENTE DE SOLIDARIEDADE.

Para aqueles que desejarem fazer alguma doação diretamente para a família da Sofia, poderá fazer o depósito na conta do Banco do Brasil, Agência 0151-1 Conta Poupança: 23858-9 - Operação 51.

Os associados da ASPOFECE que desejarem poderá autorizar o desconto em vales junto a ASPOFECE, para tanto deverá procurar a secretaria para fazer a autorização.

Desde já agradecmos a solidariedade de todos.

A Diretoria